Vacina da dengue é fabricada pela Sanofi Pasteur
Fotos Públicas/Venilton Kuchler/ ANPr

A Secretaria Estadual do Paraná informou nesta quinta-feira (19) que vai manter a campanha de vacinação contra a dengue, que teve início em 20 de março e vai até 28 de abril, apesar do alerta da OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgado nesta quinta, que contraindica a vacina a quem nunca teve a doença.

“O Paraná pretende concluir o esquema vacinal às pessoas que já tomaram a primeira e a segunda dose da vacina em etapas anteriores da campanha. A terceira dose está sendo oferecida àqueles que já iniciaram seu esquema vacinal”, afirmou por meio de nota.

A secretaria ainda afirmou que a decisão do governo do Paraná em adotar a vacina foi baseada em dados epidemiológicos consistentes. “Seguimos, à época, recomendações da Organização Mundial da Saúde, de sociedades acadêmicas, e a liberação da Anvisa. Assim, a campanha foi direcionada somente aos 30 municípios endêmicos e epidêmicos”.

A OMS alertou nesta quinta-feira (19) que a vacina contra a dengue deve ser tratada de forma mais segura e que sejam feitos exames antes de sua aplicação. O imunizante é fabricado pela Sanofi Pasteur e está disponível somente na rede particular. O único Estado brasileiro a utilizar a vacina em campanha é o Paraná.

Mais de 300 mil pessoas já receberam esta vacina no Estado desde 2016, quando teve início a campanha de vacinação contra a dengue. Segundo a secretaria, entre agosto de 2015 e julho de 2016, o Paraná registrou sua pior epidemia com 56.351 casos e 63 mortes por dengue.

Mesmo com a recomendação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que no ano passado afirmou que a vacina não deveria ser tomada por quem nunca teve a doença, ou seja, que só era segura para quem já havia sido infectado pelo vírus, o Paraná manteve a campanha.

Saiba mais: Vacina contra a dengue na rede privada tem 66% de eficácia

“Tendo em vista que 80% dos casos de primeira infecção por dengue é assintomática, ou seja, a pessoa não identifica a doença, mesmo aqueles que não tiveram o diagnóstico e vivem em cidades endêmicas e epidêmicas podem ter tido contato com o vírus, o que reforça a decisão do Paraná em vacinar nos municípios selecionados”, afirmou a secretaria por meio de nota.

Casos de dengue caíram no Paraná

De acordo com análise realizada pela Secretaria Estadual da Saúde do Paraná, na maioria das cidades que integraram a campanha o índice da doença foi reduzido a zero. O levantamento ainda mostra que as cidades com mais casos coincidem com as piores coberturas vacinais.

O último informe técnico da dengue, divulgado semanalmente pela Secretaria Estadual da Saúde, mostra que o Paraná apresentou nesta semana a primeira morte pela doença desde 2016.

Trata-se de uma idosa de 83 anos que apresentava cardiopatia, diabetes e hipertensão. A morte foi registrada em Foz do Iguaçu.

Segundo a secretaria, de agosto do ano passado até o momento, há 17 mil casos suspeitos de dengue notificados, 636 casos confirmados e uma morte. Até o momento, o quadro da dengue no Estado ainda é considerado mais favorável do que no ano passado, ainda segundo a secretaria.

A campanha de vacinação contra a dengue no Paraná já imunizou mais de 24 mil pessoas este ano e tem a meta de vacinar o total de 109.630 até o dia 28 de abril.

Veja as diferenças entre dengue, gripe, febre amarela, zila e chikungunya:

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001