Simaria, 33, ficará afastada dos palcos por 30 dias
Manuela Scarpa/Brazil News

A tuberculose é uma doença infecciosa que pode ser pulmonar ou extrapulmonar. Quando é extrapulmonar, o principal órgão acometido são os gânglios, que constituem o sistema de defesa do organismo – daí o nome “tuberculose ganglionar”. A cantora Simaria, da dupla Simone & Simaria, contraiu esse tipo de tuberculose.

A tuberculose é transmitida por uma micobactéria – o bacilo de Koch – pelo ar, por meio de tosse ou espirros de pessoas contaminadas, que invade os pulmões de uma pessoa saudável ao respirar, penetrando na corrente linfática e alcançando os gânglios.

A inflamação dos gânglios, que crescem em média entre 2 e 4 cm, é uma resposta do organismo à entrada do bacilo. O gânglio geralmente afetado fica atrás do coração, grudado na traqueia. “Há casos em que a tuberculose ganglionar infarta tanto que sutura”, diz Raquel Garcia, infectologista do Hospital São Luiz Unidade Morumbi, em São Paulo.

Os principais sintomas desse tipo de tuberculose são perda de peso, sudorese noturna, perda de apetite e fraqueza, além do aumento do gânglio. Diferentemente da tuberculose pulmonar, não há tosse. “A pessoa passa longos períodos com esses sintomas. Eles vão progredindo devagar, pois a evolução da tuberculose é lenta”, explica.

“De 5% a 15% das pessoas entram em contato com a bactéria, mas não desenvolvem a doença”, completa.

A infectologista afirma que, se tratada, a tuberculose não apresenta risco de morte. “A doença oferece gravidade quando a bactéria é resistente”, explica.

Leia também: Tuberculose mata mais de 4 mil todo ano no Brasil

O tratamento é realizado com medicamento próprio para tuberculose – antituberculostáticos – que são quatro drogas em um mesmo comprimido. Ingere-se de três a quatro comprimidos por dia durante dois meses, em média, mas o tratamento pode chegar a nove meses.

A médica explica que não é necessário se manter internado durante o tratamento. “O paciente leva uma vida normal”. O portador desse tipo de tuberculose não transmite a doença, diferentemente da tuberculose pulmonar, segundo a infectologista.

“A tuberculose é uma doença ambiental. O bacilo dura muito tempo no ambiente. Quem frequenta muito ambientes fechados, com muitas pessoas, está mais sujeita ao contato com a doença”, afirma.

Doença afeta 70 mil no Brasil

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a tuberculose é a doença infecciosa que mais mata no mundo. No Brasil, cerca de 70 mil são afetadas pela doença, todos os anos, e cerca de 4 mil pessoas morrem, se acordo com o Ministério da Saúde.

Existe vacina contra a tuberculose. Chamada de BCG, é composta pelo bacilo de Calmette-Guérin, obtido pelo enfraquecimento de uma das bactérias que causam a doença. 

Saiba mais: Tuberculose atinge 10% dos presidiários do RJ, diz pesquisa

A BCG, responsável pela cicatriz de cerca de um centímetro de diâmetro que muitas pessoas têm no braço direito, é oferecida gratuitamente em unidades de saúde em crianças até cinco anos. De acordo com Sociedade Brasileira de imunizações (SBIm), a vacina BCG não oferece eficácia de 100% na prevenção da tuberculose, mas sua aplicação em massa permite a prevenção das formas graves da doença.

“O resultado da vacina varia de acordo com a resposta imunológica de cada um. A vacina evita as formas graves, mas não exime a pessoa de ter a doença”, afirma Raquel.

Saiba quais são as doenças que podem ser evitadas com vacina:

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001