O presidente da República, Jair Bolsonaro e o vice, Hamilton Mourão, na abertura da Semana das Comunicações
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil – 05.05.2021

Ao comentar a CPI da Covid do Senado, que ouve nesta quarta-feira (5) o ministro Nelson Teich, Jair Bolsonaro reclamou de uma requisição de informações sobre os lugares que visitou. Em vários fins de semana, o presidente frequentou comunidades pobres em Brasília e provocou aglomerações.

Leia também

Teich diz que live de Bolsonaro a favor da cloroquina o fez desistir

Bolsonaro sobe o tom e diz ter pronto decreto contra lockdowns

‘Seria adequado conhecimento maior’, diz Teich sobre Pazuello

“Recebo agora documentos da CPI para dizer onde eu estava nos meus últimos fins de semana. Não interessa onde eu estava. Respeito a CPI. Estive no meio do povo, tenho que dar exemplo. É fácil para mim ficar no Palácio do Alvorada, tem tudo lá. Não posso, sem ouvir o povo, tomar conhecimento do que eles sentem e do que eles querem. Vou continuar andando em comunidades em Brasília. Alguns acham que vou passear. Não, vou continuar a fazer tudo que aqueles que me criticam deveriam fazer”, disse o presidente após abrir oficialmente a Semana das Comunicações, em Brasília.

O chefe do Executivo nacional voltou a fazer ataques à China e citou uma teoria da conspiração de que o vírus da covid-19 tenha sido criado em laboratório ou causado por ingestão de um animal. Bolsonaro chegou a classificar a pandemia como “guerra química”.

Durante o mesmo evento, o presidente subiu o tom, afirmando ter pronto um decreto para “garantir o direito de ir e vir” dos brasileiros, que muitos pedem que seja editado, e que se for publicado “não será contestado em nenhum tribunal”.

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001