Crianças de 1 anos são as que apresentam a menor cobertura vacinal, de 85,4%
Agência Brasil

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (11) que mais de 10 milhões de crianças dentro do público-alvo – entre 1 e 4 anos – foram imunizadas na campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite que termina nesta sexta-feira (14).

Leia também: Cinco motivos que estão levando à volta do sarampo e da poliomielite

Isso corresponde a 93% de cobertura vacinal, o que indica que a meta, de 95%, ainda não foi atingida, segundo o governo. A pasta informa que 14 Estados e o Distrito Federal ainda não alcançaram a meta. Um deles é Roraima, que passa por surto de sarampo e apresenta 83,9% de cobertura vacinal para o sarampo e 83,2% para a pólio.

O Rio de Janeiro continua sendo o Estado com o menor índice de imunização do país contra ambas as doenças, com 79,9% contra o sarampo e 78,6% contra a pólio.

Cerca de 800 mil crianças ainda não tomaram as vacinas contra as duas doenças. Na faixa etária de 3 e 4 anos, a cobertura vacinal está acima da meta, com 96,9% e 95,4%, respectivamente. A maior preocupação, segundo o Ministério, é com as crianças de 1 ano de idade, cuja cobertura ainda está em 85,4%.

Leia também: Medo de sarampo? Tire todas as suas dúvidas sobre a doença

Os 12 Estados que já atingiram a meta são Mato Grosso do Sul, Alagoas, Ceará, Goiás, Paraíba, Maranhão, Sergipe, Espírito Santo, Santa Catarina, Pernambuco, Rondônia e Amapá. Mais de 4 mil (72%) municípios do país cumpriram a meta.

As capitais Recife (PE), Macapá (AP), Porto Velho (RO) e Vitória (ES) superaram a meta da campanha. Manaus, que iniciou a vacinação em março devido ao surto de sarampo na região, também já vacinou 95% do público-alvo, com 103% de cobertura vacinal contra o sarampo, e de 95,2%, para a poliomielite.

Campanha deste ano é indiscriminada

O Ministério ressalta que a campanha deste ano é indiscriminada, portanto, todas as crianças dentro da faixa etária devem se vacinar, independentemente da situação vacinal.

A poliomielite foi erradicada no Brasil em 1989, já o sarampo havia sido eliminado em 2016, mas voltou a ser registrado este ano.

A vacina contra o sarampo engloba duas doses. A primeira dose é da tríplice viral, que protege também contra caxumba e rubéola e deve ser dada logo após a criança completar 1 ano. A segunda dose é a tetraviral, que inclui a proteção à varicela (a catapora), aos 15 meses (1 ano e três meses de vida).

Já a imunização contra a poliomielite é composta por cinco doses de vacina. As duas primeiras doses, aos 2 e 4 meses de idade, são injetáveis. As outras três, aos 6 meses, 15 meses e 4 anos, são por via oral, as famosas gotinhas.

Brasil tem mais 1,5 mil casos de sarampo

O país registra 8 mortes por sarampo, além de 1.579 casos confirmados e 7.513 em investigação, segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado no dia 5.

Entre as mortes, 4 ocorreram em Roraima, sendo três venezuelanos e um bebê yanomami brasileiro, e 4 no Amazonas, sendo três bebês brasileiros e uma agente de saúde de 44 anos.

O país registra surto da doença no Amazonas, que apresenta 1.232 casos confirmados e 7.439 em investigação, e em Roraima, com 301 casos confirmados e 74 suspeitos. Casos de sarampo foram registrados em outros Estados, mas são considerados isolados: São Paulo (2), Rio de Janeiro (18); Rio Grande do Sul (18); Rondônia (2), Pernambuco (4) e Pará (2).

Bolinhas pelo corpo? Saiba diferenciar sarampo e catapora:

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001