O clínico-geral Américo Cuvello, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, explica que, conforme o ano vai terminando, as pessoas começam a se queixar de um cansaço desproporcional à atividade física realizada, além de irritabilidade com problemas simples, indisposição e descontentamento generalizado. Segundo ele, todos esses sintomas fazem parte da síndrome da fadiga de fim de ano  O médico explica que a síndrome da fadiga de fim de ano consiste na perda do equilíbrio entre o que é possível executar e o excesso de atividades. “Ou seja, tudo em excesso passa a ser prejudicial. E tentar não seguir esta lei milenar acarreta em ônus à saúde”, afirmaSegundo Cuvello, esse conjunto de sintomas resulta do excesso
de trabalho associado ao hábito de deixar tudo para última hora. “O exame
médico, a revisão do carro, a renegociação da dívida, tudo tem que ser
resolvido antes do final do ano. Além desta sobrecarga, há inúmeras
confraternizações e compra de presentes o que torna dezembro o mês mais
estressante do ano”, afirmaAs férias parecem ser a solução para combater essa fadiga, porém,
o clínico-geral ressalta que programar as férias também pode ser desgastante
para algumas pessoas, assim como realizar excesso de atividades durante esse
período. “Resulta em sensação de cansaço mesmo estando em férias”. Segundo ele,
a fadiga pode ser preocupante se, mesmo com o repouso, ela não é solucionada.
Neste caso, pode estar associada a doençasO clínico-geral afirma que a fadiga é a consequência física de
que o equilíbrio do corpo foi rompido. Para reduzir o impacto dessa alteração,
nada melhor que uma boa noite de sono. “Uma boa noite de sono de oito horas é
capaz de restabelecer as energias”, afirmaFadiga logo no início do dia após uma noite de sono pode ser
indício de hipotireoidismo, que é a redução da função da glândula tireoide.
Outras patologias que podem causar fadiga são depressão e apneia do sono. Já a
anemia provoca cansaço, segundo o médicoDeve-se evitar a automedicação, mesmo a ingestão de
vitaminas, pois isso pode ser prejudicial à saúde, segundo Cuvello. Ele explica
que o excesso de vitamina C, por exemplo, pode levar ao acúmulo de uma
substância no organismo chamada oxalato, que é eliminada pelos rins, aumentando
a possibilidade de pedra nos rinsExistem substâncias que são estimulantes do cérebro e
reduzem a sensação de fadiga como o extrato de guaraná, chá de alho e aspartato
de arginina. No entanto, seu uso pode mascarar sintomas e resultar em outras
complicações clínicas, de acordo com o médico. Pessoas com problemas no
coração podem desenvolver arritmias após o uso desses estimulantes 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001