<img src=’https://img.r7.com/images/r7-chefs-churrasqueiras-nubia-signorini-1500-06122023145630088′ /><br />

Carnes vermelhas foram as mais associadas ao risco de Alzheimer
Edu Garcia/R7 – 6/3/2020

O Alzheimer é uma das doenças neurodegenerativas correspondentes a mais da metade dos casos de demência, segundo o Ministério da Saúde, e, de acordo com cientistas, a dieta adotada por cada um pode influenciar em maior ou menor risco de desenvolver o problema. 

• Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
• Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
• Compartilhe esta notícia pelo Telegram
• Assine a newsletter R7 em Ponto

O estudo, publicado no científico Journal of Alzheimer’s Disease, traz uma má notícia para o churrasco de domingo — ele está entre os alimentos que aumentam o risco da doença.

Junto ao páreo, estão inclusos, também, hambúrgueres, cachorros-quentes, gorduras saturadas, carnes (em especial, as vermelhas), carnes processadas e alimentos processados, ricos em açúcar e grãos refinados. Segundo os especialistas, esse estilo de alimentação se enquadra no padrão ocidental.

Veja também

Saúde
Mulher volta de férias, descobre câncer raro no nariz e é salva por crânio impresso em 3D

Economia
Um a cada quatro alimentos de origem vegetal tem resíduos de agrotóxicos no Brasil

Saúde
Mortes nos Andes: o que acontece com o corpo humano no frio extremo e em altitudes elevadas?

Já dietas tradicionais seguidas na China, no Japão e na Índia, além da dieta mediterrânea, todas com grande consumo de vegetais, mostraram que poderiam reduzir o risco de desenvolver a doença. 

O estudo afirma, ainda, que as taxas de Alzheimer aumentaram progressivamente conforme esses países passaram a adotar o modelo ocidental.

Eles observaram que a carne foi o principal alimento a intensificar o risco desse tipo de demência, aumentando fatores como inflamação, resistência a insulina, estresse oxidativo, gordura saturada.

Isso se relaciona, também, aos ultraprocessados, pobres em vitaminas e componentes anti-inflamatórios e antioxidantes, que pioram os riscos de desenvolvimento de obesidade e diabetes, fatores predisponentes para o Alzheimer.

Os autores classificam a pobreza como um fator de risco, visto que tais opções ajudam a fornecer a energia ao organismo de forma mais barata, em detrimentos de alimentos mais nutritivos, que podem ser mais caros. 

Enquanto isso, vegetais coloridos e com folhas verdes, frutas, legumes, nozes, ácidos graxos ômega-3 e grãos integrais seriam responsáveis pela proteção contra o surgimento da doença. 

Conheça 10 curiosidades sobre vitaminas e minerais que podem ajudar (ou não) a sua saúde:

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001