Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya
ONU/Aiea/Dean Calma

A prefeitura de São Joaquim da Barra, interior de São Paulo, confirmou a segunda morte por dengue grave em menos de uma semana.

A vítima, uma idosa de 79 anos, morreu nessa terça-feira (22), depois de ser internada em estado grave na Santa Casa local. Na segunda-feira (21), uma menina de 9 anos já havia morrido em decorrência da doença.

Leia também: Epidemia de dengue mais grave põe em alerta regiões do Estado de SP

Nos dois casos, a causa da morte consta no atestado de óbito, mas a Secretaria de Estado da Saúde considera necessário aguardar novos exames para comprovação da causa.

De acordo com o coordenador de Controle de Doenças da pasta, Marcos Boulos, a dengue grave, antes denominada dengue hemorrágica, pode ser causada pelo sorotipo 2 do vírus, que está circulando no interior de São Paulo, com maior concentração nas regiões Noroeste e Norte, onde fica São Joaquim da Barra.

Leia também: Zika e chikungunya caem pela metade, mas dengue cresce no país

Conforme o chefe da Vigilância em Saúde do município, Marcos Guedes, a prefeitura intensificou os mutirões em bairros para a retirada de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, em casas e terrenos.

Saiba mais: Mais de 500 cidades têm alto risco de dengue, zika e chikungunya

O município também está fazendo a nebulização noturna das ruas com inseticida. Nos primeiros 15 dias do ano, a cidade de 51,4 mil habitantes registrou 113 casos suspeitos de dengue e já tem 36 confirmados.

As diferenças de sintomas entre dengue, febre amarela, gripe, zika e chikungunya: 

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001