O Estado do Rio de Janeiro apresenta o menor índice de vacina contra pólio do país
Divulgação/Secretaria Estadual da Saúde do Rio de Janeiro

A vacinação contra o sarampo e a poliomielite deve continuar neste sábado (1º) em 23 Estados e no Distrito Federal que não bateram a meta de imunização de 95% do público-alvo até esta sexta-feira (31), final da campanha, conforme orientação do Ministério da Saúde.

O Ministério ressalta que, apesar da orientação, a ação é de responsabilidade de cada município.

Apenas os Estados do Amapá, Rondônia e Pernambuco alcançaram a cobertura vacinal prevista para ambas as doenças. O Ministério divulgou nesta sexta-feira (31) que 80% das crianças entre 1 e 4 anos foram vacinadas em todo o Brasil no período da campanha – entre 6 e 31 de agosto.

Segundo a pasta, 10 Estados estão com a cobertura das duas vacinas abaixo da média nacional. O menor índice foi registrado no Rio de Janeiro, que apresenta apenas 58,41% das crianças nessa faixa etária vacinadas contra o sarampo e 57,62% contra a poliomielite.

Em seguida está Roraima, que passa por surto de sarampo. Neste Estado, a prevalência de vacinados é de 65,97% para sarampo e 67,57% para pólio. Amazonas, que também registra surto da doença, está entre os 10 Estados, com 84% para sarampo e 68,76% para pólio. Os demais são Distrito Federal, Acre, Pará, Bahia, Piauí, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

Entre as capitais, Recife (PE), Macapá (AP), Porto Velho (RO) e Vitória (ES) superaram a meta da campanha. Já Manaus, que teve a campanha antecipada para março devido ao surto de sarampo, já atingiu a meta de vacinação contra a doença (103%).

Leia também: Medo de sarampo? Tire todas as suas dúvidas sobre a doença

O Ministério afirma que 18 milhões de doses de vacina, sendo 9 milhões de cada, foram aplicadas em todo o país. O objetivo é aplicar mais de 2,7 milhões neste sábado.

A campanha deste ano é indiscriminada, o que significa que todas as crianças nessa faixa etária devem se vacinar, independentemente da situação vacinal. “É por meio da vacinação que vamos impedir que doenças já eliminadas retornem ao Brasil. É preciso que os gestores de saúde, bem como pais e responsáveis, se conscientizem da importância da vacinação contra essas doenças”, afirmou o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, por meio de nota.

A poliomielite foi erradicada no Brasil em 1989, já o sarampo havia sido eliminado em 2016, mas voltou a ser registrado este ano.

A vacina contra o sarampo engloba duas doses. A primeira dose é da tríplice viral, que protege também contra caxumba e rubéola e deve ser dada logo após a criança completar 1 ano. A segunda dose é a tetraviral, que inclui a proteção à varicela (a catapora), aos 15 meses (1 ano e três meses de vida).

Já a imunização contra a poliomielite é composta por cinco doses de vacina. As duas primeiras doses, aos 2 e 4 meses de idade, são injetáveis. As outras duas, aos 6 meses, 15 meses e 4 anos, são por via oral, as famosas gotinhas.

Sarampo avança no Brasil

O Brasil tem 1.553 casos e 7 mortes por sarampo, de acordo com último boletim do Ministério da Saúde divulgado na última terça-feira (28). Há ainda 6.975 casos em investigação.

Entre as 7 mortes, quatro foram em Roraima, sendo três venezuelanos e 1 bebê yanomami brasileiros, e três mortes no Amazonas, sendo três bebês (dois de Manaus e um de Autazes).

Leia também: Difteria poderá ser novo sarampo se Brasil não atuar na fronteira

Amazonas e Roraima passam por surto da doença. O Amazonas registra 1.211 casos confirmados e 6.905 em investigação e Roraima, 300 confirmados e 70 em investigação.

Outros Estados registram casos considerados isolados: São Paulo (2), Rio de Janeiro (18); Rio Grande do Sul (16); Rondônia (2), Pernambuco (2) e Pará (2).

Arte R7

Arte R7

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001