Em 2019, a previsão é de que sejam registrados mais de 560 mil novos casos de câncer no Brasil, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Para ajudar no combate à doença, o oncologista clínico Daniel Garcia, do A.C.Camargo Cancer Center, responde a algumas dúvidas nesse Dia Mundial do Combate ao Câncer (04/02) É possível ser ou ficar imune ao câncer? Não. De acordo com o oncologista clínico Daniel Garcia, do A.C.Camargo Cancer Center, na maioria das vezes, o câncer é uma doença derivada de alterações genéticas, seja pelo envelhecimento, ou pela exposição a fatores ambientais, como cigarro, radiação, alimentação e estilo de vida, que podem influenciar no aparecimento da doença ou nãoA pílula do câncer existe? A substância fosfoetanolamina,
conhecida como “pílula do câncer”, foi testada em 2016, em um
estudo clínico patrocinado pelo governo de São Paulo, mas não se mostrou eficaz.
Dos 59 pacientes com câncer que receberam a pílula, 58 não obtiveram nenhuma
resposta. Segundo o oncologista, apenas um paciente apresentou discreta melhora talvez por um efeito
placebo ou outra razão desconhecida. O câncer não é uma única doença e é
improvável que haverá um único tratamento que curará todos os tipos de tumoresEsquentar alimentos em potes plásticos no micro-ondas dá câncer? O aquecimento de recipientes plásticos pode liberar substâncias cancerígenas, como o bisfenol A (BPA), a dioxina e os ftalatos. Devido a tal liberação química, o Brasil proibiu a importação e fabricação de mamadeiras que contenham BPA em 2012. Embora as liberações dessas substâncias durante o aquecimento do plástico sejam em doses baixas, não há como saber a quantidade e qual substância está sendo liberada. Garcia aconselha que o ideal é aquecer os alimentos em uma vasilha de vidroChás e alimentos “milagrosos” previnem ou curam o câncer? Mito. Garcia afirma que não existem comprovações científicas de que algum alimento possa prevenir ou curar o câncer. O que se sabe, atualmente, é que uma alimentação saudável, combinada com a prática de exercícios físicos e bons hábitos, como não fumar, ajudam a reduzir as chances de desenvolvimento de um câncer. Entretanto, o uso de ervas e fitoterápicos pode interferir no tratamento quimioterápico, sendo necessária ainformação de seu uso ao médico responsávelCâncer é transmissível? Mito. De acordo com o oncologista, não há nenhuma evidência científica de que o câncer possa ser transmitido pelo contato ou relações sexuais. Garcia explica que as células de cada corpo possuem sua “assinatura” própria, reconhecendo se a célula é do próprio corpo ou de outra pessoa, não aceitando células cancerígenas ou saudáveis de outro corpo. Entretanto, fatores de risco, como os vírus do HIV, HTLV, HPV, hepatite B e C, podem ser transmitidos entre as pessoas, mas a maioria dos casos não está relacionada a tais vírus, não necessitando a mudança de convivência com uma pessoa por conta da doençaMacarrão instantâneo é cancerígeno? Segundo Garcia, não existe nenhum estudo que comprove a relação entre o alimento e o surgimento de câncer. Entretanto, por ser um alimento pobre em fibras e nutrientes, e rico em gorduras saturadas e sal, quando consumido em excesso, pode aumentar o risco de doenças cardiovascularesDormir em cima do celular dá câncer no cérebro? Não. Até o momento, nenhum estudo comprovou a ligação entre o uso de celulares a qualquer doença. Segundo o oncologista, o câncer é causado por mutações genéticas e os
telefones celulares emitem um tipo de energia de baixa frequência que não
danifica os genes, não vinculando o uso dos aparelhos a efeitos adversos na saúdeCarne vermelha é mesmo causadora de câncer? De acordo com a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer  da Organização Mundial da Saúde (IARC/OMS), a carne vermelha é classificada como possivelmente cancerígena para humanos, estando associada ao câncer colorretal, ao câncer de próstata e ao câncer de pâncreas. A carne vermelha é rica em ferro heme que, segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), quando consumida em excesso pode ter efeito tóxico sobre as células. Além disso, segundo Garcia, durante o cozimento, a carne pode liberar produtos químicos potencialmente cancerígenosAssim como o cigarro, usar narguilé causa câncer? Sim. O oncologista explica que, dependendo da quantidade usada, o narguilé pode causar mais câncer que o cigarro, pois em uma sessão de narguilé, que costuma durar de 20 a 80 minutos, são realizadas até 200 tragadas, podendo ingerir até um litro de fumaça, o equivalente a 100 cigarros. Um fumante convencional dá até 12 tragadas em um cigarro, num período de sete minutos, ingerindo cerca de 75 ml de fumaçaBeber refrigerante causa câncer? De acordo com Garcia, a maioria dos refrigerantes possui a substância corante 4MI (4-metil-imidazol), um subproduto do
caramelo IV, que é classificada como possivelmente cancerígena pela IARC. De acordo com uma pesquisa publicada Centro de Ciência de Interesse Público (CSPI, em inglês), em 2012, o Brasil é o país em que os refrigerantes apresentam maior concentração dessa substância, chegando a uma concentração quase 70 vezes maior do que a de um refrigerante no estado da Califórnia, nos Estados UnidosSe alguém da minha família teve câncer, vou ter a doença no mesmo lugar? Não necessariamente. Cerca de 90% a 95% dos cânceres são causados por fatores ambientais e como resultado natural do envelhecimento. Os cânceres hereditários representam de 5% a 10%, sendo causados por mutações genéticas herdadas pelos pais, afetando vários membros da família, que terá o mesmo tipo de câncerBebidas quentes causam câncer? De acordo com o IARC, bebidas muito quentes, com temperatura acima dos 65°C, são classificadas como potencialmente cancerígenas. Quando servidas em temperaturas acima dos 65°C, bebidas muito quentes, como o mate, foram associadas ao surgimento de câncer de esôfagoQuais hábitos além do cigarro causam câncer? Segundo o oncologista, o consumo excessivo de álcool está associado ao aumento de câncer de laringe, faringe , esôfago, cólon, mama e fígado. A ação do álcool também pode aumentar a penetração de substâncias cancerígenas nas
células, como os do cigarro, aumentando ainda mais o risco de
câncer de boca, garganta e esôfago. A exposição excessiva ao sol também pode causar câncer de peleAlimentos processados aumentam a chance de desenvolver câncer? Alimentos processados, como salsicha e presunto, são classificados pelo IARC como comprovadamente cancerígena para humanos, estando no mesmo grupo que o cigarro. De acordo com o oncologista, a classificação é baseada em evidências de estudos epidemiológicos de que comer carne processada causa
câncer colorretal

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001