O jornalista esportivo Orlando Duarte foi diagnosticado recentemente com Alzheimer. Segundo uma publicação feita por sua esposa, Conceição, em seu perfil no Facebook nesta terça-feira, 19, Duarte sempre teve boa memória, mas sua saúde se debilitou após uma queda que originou a fratura do fêmur do jornalista. De acordo com a esposa, por conta da doença, Duarte vive alguns momentos de tristeza e confusão ao se lembrar de algo e logo esquecerDe acordo com o neurologista Rafael Paternò,  da Santa Casa de São Paulo, o sinal mais importante do Alzheimer é a perda de memória recente, o que torna a pessoa repetitiva, fazendo as mesmas perguntas ou contando as mesmas histórias várias vezes e, geralmente, o paciente não percebe as próprias dificuldades. Paternò explica que, com o tempo, a pessoa começa a perder a noção de tempo e espaço, não sabendo mais as datas ou se perdendo em lugares familiaresCom a progressão da doença, o paciente de Alzheimer começa a apresentar dificuldade para realizar tarefas, como cozinhas, operar máquinas ou cuidar das próprias finanças. Em casos mais avançados, o paciente acaba perdendo a independência, precisando de ajuda para realizar tarefas simples, como escolher as próprias roupas e vesti-las e cuidar dos medicamentos. O paciente pode apresentar, também, alterações no humor, irritabilidade e apatia O neurologista afirma que, geralmente, o Alzheimer aparece em idosos a partir dos 60 anos, sendo raras as aparições antes dessa idade. Paternò afirma que o Alzheimer costuma afetar mais as mulheres do que os homens, sendo prevalente entre os 65 e 85 anos. Pessoas com histórico familiar, afrodescendentes e hispânicos também são mais propensos a desenvolver AlzheimerEntre os fatores de risco para desenvolver Alzheimer estão a pressão alta, problemas de colesterol, diabetes, sedentarismo, tabagismo, obesidade, depressão, deficiência auditiva e traumas no crânio. O neurologista afirma também que pessoas com Síndrome de Down são mais propensas a desenvolver Alzheimer, e a doença costuma aparecer de maneira precocePaternò afirma que não há um método definitivo que seja capaz de prevenir o Alzheimer. Entretanto, levar um estilo de vida saudável, e ter um bom desempenho em atividades que estimulem o cérebro ajudam a diminuir os riscos e retardar o aparecimento do AlzheimerO tratamento para o Alzheimer é feito com medicações para atrasar os efeitos da doença e para melhorar os sintomas de apatia e depressão. Paralelamente, é feito também com neuropsicólogo, fonoaudiólogo e terapias ocupacionais de maneira a ajudar a controlar os sintomas do Alzheimer*Estagiária do R7 sob supervisão de Ingrid Alfaya

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001