Crianças devem ser vacinadas contra o sarampo mesmo se já imunizadas
Reprodução/Ministério da Saúde

A campanha nacional de vacinação contra o sarampo e a poliomelite, que teve início no dia 6 de agosto, atingiu 51% do público-alvo nesta segunda-feira (20), segundo o Ministério da Saúde.

Foram aplicadas cerca de 5,7 milhões de vacinas contra cada doença — um total de 11,4 milhões de doses, somando as vacinas de sarampo e de poliomelite — em crianças de 1 a 4 anos. 

O sábado (18) foi marcado pelo “Dia D” da vacinação, quando 36 mil postos de saúde funcionaram no país, oferecendo as vacinas.

A meta do governo é vacinar ao menos 95% das 11,2 milhões de crianças nessa faixa-etária, no país, até dia 31, final da campanha.

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, ressaltou, em nota, que a campanha é um esforço para que doenças já eliminadas não retornem ao país. “Pais e responsáveis devem levar as crianças que ainda não foram vacinadas, independentemente da situação vacinal anterior, já que neste ano a campanha é indiscriminada”, afirmou.

Leia também: OMS alerta para recorde de casos de sarampo na Europa

A campanha prossegue em todo o país. Para as crianças que não tomaram vacina contra a poliomelite, deverá ser aplicada a Vacina Inativada Poliomielite (VIP). Já aquelas que tomaram uma ou mais doses receberão a gotinha da Vacina Oral Poliomielite (VOP).

Em realação ao sarampo, todas as crianças devem receber a dose da vacina tríplice viral. A exceção são crianças que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias, não necessitando de nova dose.

Entre os Estados que lideram a cobertura vacinal estão Rondônia, com 85,03% para a pólio e 83,45% para o sarampo, seguido por Amapá com 76,15% pólio e 75,96% sarampo. Já os Estados com menor cobertura são o Rio de Janeiro, com 29,49% do público-alvo vacinado para pólio e 31,33% para sarampo, e Pará, que tem 33,60% pólio e 33,59% sarampo.

Leia também: Sarampo: 2 casos em Pernambuco e mais 1 bebê morre no Amazonas

Casos de sarampo

Atualmente, o Brasil enfrenta dois surtos de sarampo nos Estados de Roraima e Amazonas, com 296 casos e 910 casos confirmados, respectivamente. Em Roraima, 101 casos permanecem em investigação. No Amazonas são 5.630 casos investigados. Os surtos da doença estão relacionados à importação do vírus, o mesmo que circula na Venezuela desde o ano passado.

Casos isolados foram registrados em São Paulo (1); Rio de Janeiro (14); Rio Grande do Sul (13); Rondônia (1) e Pará (2). Acre e Pernambuco também registraram casos, que ainda não entraram no balança do governo federal. Até o momento, foram registradas seis mortes por sarampo no país, sendo quatro em Roraima (três estrangeiros e um brasileiro) e dois brasileiros no Amazonas.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Gianinni

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001