Cerca de 80% das crianças com a doença conseguem atingir a cura
Pixabay

A mortalidade de câncer infantil, entre 0 e 14 anos, apresentou redução de 13% em dez anos. A queda no número de mortes entre menores de 1 ano nesse mesmo período foi ainda maior, de 27,8%. Os dados são do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e foram divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (28).

Em 2006, 2.222 crianças entre 0 e 14 anos morreram em decorrência do câncer. Já em 2016, houve registro de 1.924 óbitos.

O Ministério atribui a diminuição da mortalidade ao progresso nos tratamentos e nos diagnósticos da doença no Brasil. Segundo a pasta, cerca de 80% das crianças e adolescentes acometidos pelo câncer podem ser curados caso sejam diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados.

“Temos visto que a detecção e o tratamento precoce do câncer, feito nos serviços de saúde, têm sido crucial para a queda na mortalidade. Houve também importante mudança de tecnologia no tratamento do câncer e muitos procedimentos cirúrgicos desnecessários foram reduzidos”, afirmou Fatima Marinho, diretora do Departamento de Doenças e Agravos Não Transmissível e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, por meio de comunicado.

Câncer continua sendo primeira causa de morte

O câncer continua sendo a primeira causa de morte em crianças entre 5 e 14 anos no Brasil, mesmo com a redução da mortalidade. O tumor maligno mais comum é a leucemia, seguido dos linfomas (gânglios linfáticos) e dos tumores cerebrais.

O câncer infanto-juvenil corresponde a 3% da doença no país. Estimam-se 12.600 novos casos até os 19 anos de idade, por ano, em 2018 e 2019, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

As regiões Sudeste e Nordeste apresentaram os maiores números de novos casos, com 5.300 e 2.900, respectivamente, seguidas pelo Centro-Oeste (1.800), Sul (1.300) e Norte (1.200).

Entre os sintomas de câncer em crianças estão palidez, hematomas, sangramento, dor óssea, perda de peso, caroços ou inchaços, alterações oculares, inchaço abdominal, dor de cabeça persistente, vômitos e inchaço sem trauma.

O tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é realizado por meio da Rede de Atenção a Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas. O Ministério orienta que, para que um paciente tenha acesso ao tratamento oncológico pelo SUS, independentemente do tipo de tumor, ele deve ser atendido em um estabelecimento habilitado em oncologia.

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001