A socialite Kim Kardashian, 38, revelou que tem artrite psoriática
Reprodução/Instagram

Nem lúpus nem artrite reumatoide. A socialite Kim Kardashian, 38, tem artrite psoriática. O diagnóstico foi revelado por seu médico, Daniel Wallace, esta semana no reality show de sua família Keeping Up with The Kardashians.

Ela chegou a chorar quando soube que poderia ter lúpus, que afeta outras celebridades, como a atriz Selena Gomez, que fez transplante de rim por causa da doença, e demonstrou alívio ao dizer se tratar de uma doença “menos grave”.

Mas, segundo o reumatologista Marcelo Pinheiro, Coordenador da Comissão de Espondiloartrites da Sociedade Brasileira de Reumatologia, as três doenças autoimunes, lúpus, artrite reumatoide e artrite psoriática, podem tanto ser  brandas quanto graves.

“Muitas pessoas acham que o lúpus é o fim do mundo, pois existe a concepção de que pode matar. Realmente pode acometer orgãos como coração e rim, evoluindo para insuficiência renal, mas há casos menos graves. Já a artrite psoriática pode ser leve, mas também pode ser grave, causando deformação e perda da funcionalidade de mãos e pés”, explica.  

Em dezembro do ano passado, Kim havia divulgado que tinha psoríase. A doença teria se manifestado há cerca de dez anos. Agora, o novo diagnóstico mostra que a patologia evolui para artrite psoriática, que é uma doença que se manifesta por meio de coceira e descamação na pele e também dores nas articulações.

Artrite se instala aos poucos

As lesões de pele atingir principalmente cotovoelos e joelhos, mas todo o corpo pode ser acometido. Já as articulações mais afatedas são das mãos, pés e coluna. “O esporão de calcâneo, por exemplo, pode ser um sintoma de artrite psoriática. Muitas vezes o paciente tem lesão de pele e dor articular, mas não faz essa relação e a doença passa despercebida. Às vezes, acha que a dor é porque fez uma faxina ou que é culpa do colchão”, afirma.

Como toda doença autoimune, na artrite psoriática o sistema imunológico trata o próprio organismo como estranho, gerando uma reação inflamatória para defender o corpo. “Reconhece a pele e as articulações como não sendo sua”. 

Leia também: Psoríase priva portadores da doença crônica de ter uma ‘vida normal’

A inflamação ocorre na entese, ponto de ligação entre o tendão e o osso. “Em 80% dos pacientes, a artrite vai se instalando aos poucos. Somente em 20% a psoríase e a artrite se acontecem ao mesmo tempo”. 

O reumatologista explica que apenas 30% dos portadores de psoríase vão desenvolver a artrite e o pico da doença ocorre justamente nesse fase da vida, entre 30 e 50 anos. 

“Cerca de 80% dos pacientes em que a psorísae envolve a unha e o couro cabeludo terão artrite. Hoje sabe-se que a unha é a continuação do tendão que mexe o dedo, está muito próxima à articulação da ponta dos dedos”, afirma. 

Saiba mais: Brasil é o 2º no ranking em impacto da psoríase na qualidade de vida

A psoríase se manifesta nas unhas por meio de descamação e manchas brancas, que lembram micose. Já no couro cabeludo se dá por meio de caspas rosadas com a borda vermelha. “As pessoas que têm a doença sofrem muita discrimação, pois quem não conhece acha que é contagiosa, mas não é”, diz. 

Pinheiro ressalta que há fatores de risco para desenvolver a artrite, que são o fumo e a obesidade. Outro aspecto é o estresse emocional. “O principal gatilho da doença é o estresse emocional, mas não é só isso. É preciso nascer com suscetibilidade à doença”.

Diagnóstico e tratamento

O exame feito por Kim Kardashian que abriu a possibilidade para uma das três doenças autoimunes se chama FAN (fator antinúcleo), que deteca a presença de auto-anticorpos. 

“Esse exame isolado não fornece diagnóstico, é preciso de outros dados para formar um quebra-cabeça. A Kim Kardashian fez ainda um ultrassom das articulações que estavam doendo o que ajudou a fechar o diagnóstico”.

Segundo Pinheiro, a área de tratamento da artrite psoriática é a mais promissora da reumatologia. “Há uma arsenal gigante de remédios, que vão de pomadas para pele e exposição à radiação ultraviola até os imunossupressores, medicações revolucionárias chamadas de biológicas porque são desenvolvidas dentro de seres vivos com o mesmo princípio que as vacinas, só que em vez de estimular o sistema imunológico, bloqueia as vias”, explica. “Esses remédios realizam o desbloqueio das vias de inflamação”, completa.

Esses medicamentos, que controlam e evitam a remissão da doença e são considerados de alto custo, já são oferecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), ressalta o reumatologista. 

Menopausa melhora os sintomas de lúpus? Entenda a doença:

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001