É preciso estar atento a algumas limitações do oxímetro usado em casa, afirmam médicos
Joseph Campbell/Reuters

Ter um oxímetro em casa após ser diagnosticado com covid-19 pode auxiliar muitos pacientes a monitorar o nível de oxigênio no sangue durante a doença.

No entanto, como há vários modelos de equipamentos, é preciso estar atento à precisão de cada um, além de saber utilizá-los da forma correta para evitar medições erradas.

O dispositivo é um clipe afixado na ponta do dedo que utiliza dois comprimentos de ondas (vermelha e infravermelha), explica o diretor da Divisão de Pneumologia do InCor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da USP), Carlos Carvalho.

“Nos vasos sanguíneos embaixo da unha, ocorre a absorção dessa luz, e o software interpreta por colorimetria a oxigenação [do sangue].”

Em pessoas saudáveis e ao nível do mar, a saturação normal de oxigênio no sangue varia entre 100% e 95%. Indivíduos com alguma doença pulmonar, por exemplo, podem ter níveis abaixo disso sem que represente um problema.

O uso inadequado do oxímetro ou a qualidade do produto podem impactar na aferição.

“Os oxímetros muito simples oscilam mais e têm uma precisão um pouco pior”, acrescenta o médico do InCor.

A presidente da SBPT (Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia), Irma de Godoy, afirma que os pacientes precisam “ter uma orientação muito clara a respeito das limitações desse  equipamento”.

“Ele é muito bom, muito utilizado, mas precisa ser utilizado corretamente e com as orientações adequadas.”

As principais recomendações dos médicos para quem for utilizar um oxímetro em casa são:

• Limpar com álcool 70% a ponta do dedo em que fará a medição.
• Não utilizar esmalte nas unhas.
• Manter-se sentado durante o processo.
• Estar em um ambiente com boa iluminação.
• Não apoiar o dedo com o oxímetro no momento da medição.
• Esperar alguns minutos até que o aparelho estabilize o resultado.

Carlos Carvalho também diz que pessoas com muita melanina na pele embaixo da unha ou com icterícia (pele amarelada por problemas no fígado) podem ter alterações no resultado que não reflitam a realidade.

Os médicos orientam a não se basear por uma única medição. É importante repetir o procedimento depois de algumas horas e ter um retrato mais fiel.

Em pacientes com covid-19, a queda da saturação de oxigênio é mais frequente ocorrer a partir do sexto dia de sintomas, que é quando a médica pneumologista Elnara Negri, do Hospital Sírio-Libanês, recomenda fazer a medição de manhã e à noite.

“Também é importante perceber se a febre dos primeiros dias retorna.”

Se as medições estiverem abaixo de 93%, a recomendação é procurar assistência médica, principalmente se houver outros sintomas, dizem os médicos.

Não tenho dinheiro para comprar um oxímetro

É possível encontrar oxímetros na internet por valores que variam entre R$ 70 e R$ 200. Mas muitos brasileiros não têm condições de comprar um caso sejam diagnosticados com covid-19.

“Todo posto de saúde tem um oxímetro. Então, a pessoa pode ir lá e pedir para medir”, diz Elnara.

Veja também

Saúde
Coronavírus inibe atuação dos ‘garis’ do sistema imune, diz estudo

Saúde
Covid-19: além do vírus, sistema de defesa também pode afetar pulmão

Saúde
Trombose pode ser indicador precoce de covid-19, diz estudo 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001