<img src=’https://img.r7.com/images/sp-sao-pauloclimaestadoscalorrecorde-14122023180952701′ /><br />
"Ai que delícia o verão…", já diria Marina Sena. A frase poderá ser cada vez mais repetida diante das mudanças bruscas e elevadas na temperatura. Com isso, é importante estar atento aos cuidados com a saúde para não passar mal. A endocrinologista Lorena Balestra afirma que a variação térmica intensa pode prejudicar a saúde, visto que as flutuações enfraquecem o sistema imunológico, favorecendo o aparecimento de infecções. Entre os mais afetados estão idosos, crianças, gestantes e portadores de doenças crônicasA alta nos termômetros exige hidratação constante e adequada.&nbsp;"A água é fundamental para o bom funcionamento do organismo, para o transporte de nutrientes, para a regulação da temperatura corporal, entre outras funções. A desidratação afeta o equilíbrio dos fluidos corporais, a função dos órgãos e sistemas, além de prejudicar o transporte de nutrientes e a eliminação de resíduos. Até 10% dos casos de cansaço e fadiga crônica que aparecem nos consultórios médicos podem estar relacionados a desidratação", diz a endocrinologista Thassiane Alvarenga, membro da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Netabologia)Lorena afirma que é importante os ambientes serem ventilados e adequados termicamente, usando ventiladores, ar-condicionado, umidificadores de ar, e preferindo roupas leves para que a temperatura corporal não se eleve. Ainda, é importante que as pessoas busquem ambientes frescos e sombras, evitando ficar ao sol. O Ministério da Saúde preconiza, também, que as pessoas se lembrem de passar protetor solar pelo menos 30 minutos antes de se expor ao solAs praias e piscinas costumam ficar lotadas durante os dias quentes. Porém, é preciso cuidado ao sair do sol quente e ir direto para a água mais fria, sob o risco de choque térmico, constrição dos vasos cardíacos, aumento da pressão arterial e arritmias. O contrário também é válido ao sair desses lugares e voltar ao sol, dilatando os vasos e causando uma queda de pressão. Assim, o ideal é se refrescar aos poucos, antes de entrar diretamente na águaA alimentação também deve ser leve, dando preferência a vegetais, legumes, saladas e frutas. Outro fator importante é se atentar ao armazenamento adequado da comida. A falta de tal cuidado pode fazer com que as pessoas adquiram infecções intestinais, levando a náuseas, vômitos e diarreia, prejudicando ainda mais a hidratação do organismo

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001