As manchas podem ser revertidas, mas a retração da gengiva não
Reprodução/Redes Sociais

Clareamento dental feito sem supervisão profissional pode causar queimadura química na gengiva, afirma cirurgiã dentista, Daniela Balthazar. Procedimento pode ser caseiro ou feito em consultório, mas os dois tipos requerem orientação de um dentista.

Um caso de uma irlandesa que publicou fotos da gengiva escura e lesionada após se submeter a um clareamento chamou atenção nos últimos dias. A mulher disse ter feito o procedimento em uma clínica de baixo custo e compartilhou o resultado nas redes sociais para alertar futuros pacientes.

Leia mais: De dor a tumor: as complicações causadas pelo dente do siso

O produto clareador em tratamentos como esse é o peróxido de hidrogênio, conhecido popularmente por água oxigenada.

“É o agente clareador base para quase todos os tipos de clareamento, inclusive do cabelo. O que varia é a concentração e outras substâncias combinadas. No dental tem dessensibilizante, por exemplo”, afirma Daniela.

Segundo a dentista, a jovem provavelmente usou um produto com concentração inadequada e já tinha problemas na gengiva. “Para fazer o tratamento, a gengiva precisa estar saudável. Se sangra, já é sinal de inflamação”, explica.

O contato com o produto em uma área que já estava sensibilizada pode ter provocado uma queimadura química, afirma Daniela. Caso não seja tratada, a inflamação pode atingir o tecido ósseo e no pior cenário o dente amolece e cai inteiro. 

Saiba mais: Falta de higiene bucal pode causar até problema de coração

A dentista explica que com tratamento adequado, a coloração provavelmente é reversível.

“A cor escura não é comum, mas é porque ainda está no processo inflamatório. O tratamento é com antibiótico, se tiver infecção, e anti-inflamatório. O grande problema é a retração da gengiva, isso não tem volta”, afirma.

Segundo a cirurgiã dentista, a gengiva retrai como defesa do organismo. “Quando deixa a raiz do dente exposta a única solução é cirurgia, que nem sempre dá certo e é apenas estética. Mesmo quando coloca enxerto retirado do céu da boca, a área vai ficar desprotegida”, explica.

Leia também: Ansiedade e estresse podem ser prejudiciais para os seus dentes 

Nesses casos, a cirurgia deixa uma bolsa entre o dente e a gengiva, e a pessoa precisa, muitas vezes, utilizar escovas e enxaguantes bucais específicos, além de ter um acompanhamento mais frequente com o dentista.

Daniela ressalta que o clareamento feito em consultório possui uma concentração maior de peróxido de hidrogênio. Por este motivo, é colocada uma proteção na gengiva.

“É um gel que endurece com aplicação da luz, cria uma espécie de forma e é feito com muito cuidado para que nenhuma parte da gengiva fique desprotegida.”

Saiba mais: Saúde bucal é só um dos fatores que podem levar a parto prematuro

O produto utilizado no tratamento caseiro também não deve ser colocado na gengiva, mas como a concentração é menor, não é necessário utilizar proteção.

“Nós orientamos o paciente a colocar pouco produto no molde e caso entre em contato com a gengiva tem que tirar. Ainda assim a concentração é bem menor. No consultório, você fica 45 minutos com o produto, em casa, são 4 horas”, afirma.

Segundo Daniela, o clareamento sob supervisão de um profissional qualificado não tem riscos.

“Se a pessoa tiver sensibilidade prévia nos dentes pode piorar, mas isso será avaliado em consultório. O principal risco é fazer com a gengiva já sensível e nenhum profissional fará o procedimento dessa forma”, afirma.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Fernando Mellis

Clareamento dental danifica os dentes? Veja mitos e verdades:

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001