A ereção é uma resposta involuntária a um
estímulo sexual. Para ser bem-sucedida depende de fatores neurológicos,
vasculares e do corpo cavernoso – dois cilindros que ficam dentro do pênis, formados
por uma espécie de tecido esponjoso que têm a capacidade de se encher e esvaziar
de sangue. Quando um homem é estimulado, todo o organismo trabalha para
aumentar a quantidade de sangue no pênis, que fica maior e com mais rigidezO urologista Renato Oyama, do Hospital Alemão
Oswaldo Cruz, explica que problemas em qualquer um desses fatores pode causar a
disfunção erétil, quando o homem não consegue uma ereção total ou parcial
satisfatória, suficiente para concluir a penetração e manter uma relação sexualUma pesquisa realizada pelo Instituto de
Psiquiatria da USP em parceria com a indústria farmacêutica Pfizer, em 2016, ouviu 3 mil pessoas entre 18 e 70
anos, em sete regiões metropolitanas do Brasil: São Paulo, Belo Horizonte, Rio
de Janeiro, Salvador, Belém, Porto Alegre e Distrito Federal. Mais de um terço
(32%) dos homens entrevistados disseram enfrentar algum tipo de dificuldade para
ter ou manter uma ereção. Essas dificuldades variaram entre grave e moderadaA disfunção sexual pode afetar homens de todas
as idades, embora seja mais comum a partir dos 40 anos e mais frequente
conforme a idade avança. Trata-se de uma dificuldade persistente, que impede a
relação sexual e costuma estar relacionada a outros problemas de saúde. As causas
podem variar, mas costumam estar ligadas, principalmente, à doença coronariana.
Essa relação acontece porque o pênis tem artérias muito parecidas com as do
coração, mas mais estreitas. Se o sangue não chega às artérias penianas porque
elas estão obstruídas, em pouco tempo pode, também, não chegar ao coraçãoOutros problemas de saúde também podem levar à
impotência, entre eles estão outras doenças cardiovasculares, diabetes,
obesidade, apneia do sono e insuficiência hepática. Oyama explica que os
problemas cardiovasculares são os mais comuns. “A disfunção erétil persistente é
um alerta, um sinal de que o paciente precisa investigar detalhadamente a saúde
cardíaca porque os problemas podem estar relacionados”Alguns hábitos também podem fazer
com que o homem sofra com a impotência. Entre eles, o tabagismo porque a
nicotina compromete a saúde dos vasos sanguíneos que irrigam o corpo cavernoso.
O uso de drogas ilícitas como maconha e cocaína, abuso de álcool e alguns
medicamentos como antidepressivos e para hipertensão também podem causar o
problema – assim como cirurgias na próstata e na região pélvicaExistem três tipos de tratamento
para a disfunção erétil. O primeiro é medicamentoso, feito com drogas
inibidoras da fosfodiesterase tipo 5, as mais conhecidas são o viagra e o
cialis. Caso elas não façam o efeito desejado, existe uma segunda opção, as
injeções intracavernosas – uma droga vasodilatadora que o próprio homem aplica
no pênis e que provoca uma ereção que pode durar por tempo variado, dependendo
da dose aplicadaA terceira opção, usada caso nem os
medicamentos nem as injeções funcionem, é a cirurgia para implante de uma
prótese peniana. Existem dois tipos de próteses: a semirrígida e a inflável. A semirrígida
é composta por dois cilindros que são implantados dentro do pênis e ficam
permanentemente endurecidos, mas maleáveis, dobráveis. A prótese inflável é formada
por dois cilindros, uma bomba e um reservatório. A bomba é usada para passar o
fluido do reservatório para os cilindros e, assim, possibilitar a ereção. Com o
fim da relação, a prótese pode ser desinflada, caso o homem assim desejeO urologista Renato Oyama destaca
que o implante de próteses penianas deve ser avaliado com calma pelos pacientes.
A cirurgia pode encurtar o pênis em 1 ou 2 centímetros e a glande pode não
se encher de sangue e ficar fria. Além disso, existem 5% de chance de infecção,
o que obriga a retirada da prótese. “Nem sempre, depois da retirada, é possível
colocar uma nova prótese”, explica o médicoSegundo o médico, a melhor forma de
evitar a disfunção erétil é a mudança no estilo de vida: perder peso, se alimentar
bem e praticar exercícios são hábitos que melhoram a potência sexual

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001