Como funciona o exame? Segundo o gastroenterologista Fauze Maluf Filho, da Comissão Científica da SOBED (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva), a endoscopia é um exame que observa o esôfago, o estômago e o duodeno (início do intestino delgado) por meio da inserção de um cano com uma câmera e uma lanterna acoplada. Além disso, ele possui um canal interno que permite a passagem de uma pinça caso seja necessário fazer biópsia de alguma área suspeita. O cano normalmente tem 9 milímetros de diâmetro e 1,3 metros de comprimento  O que o exame é capaz de prevenir? Segundo Maluf, além de identificar inflamações, refluxos, gastrite e a presença de bactérias, a endoscopia pode prevenir o câncer em todo o sistema digestivo. “O exame verifica a existência de lesões precursoras do câncer, como o adenoma [tumor benigno que pode evoluir para maligno], ou mesmo o câncer na fase inicial. A lesão pode ser retirada durante o próprio exame”, afirmaÉ usado sedativo ou anestesia? O médico explica que é utilizado um sedativo. A principal diferença entre o sedativo e a anestesia geral é que, nesse segundo caso, devido a um maior nível de sedação, o paciente não respira por conta própria. Já o sedativo, por ser mais leve, não necessita de respiração por aparelho. Algumas pessoas podem ter alergia a algum tipo de sedativo, mas isso não é impedimento para fazer o exame, já que existem diversas opções de substâncias. Além disso, o paciente precisa ir acompanhado e evitar realizar tarefas que exigem atenção no dia do exame, como dirigir. Depois que a pessoa acorda, os efeitos não passam completamente. É normal ainda sentir sonolência e tontura E se a pessoa acordar no meio do procedimento? Isso é possível, segundo o gastroenterologista. Ele afirma que, se o sedativo não for
dado na dose correta, a pessoa pode acordar durante o exame, mas isso não traz
grandes complicações. O paciente vai sinalizar desconforto e a equipe
administrará mais sedativo Pessoas com claustrofobia e anginofobia (medo de asfixia) podem fazer? Maluf explica que mesmo pessoas claustrofóbicas e anginofóbicas, com transtorno de ansiedade ou síndrome do
pânico, podem fazer o exame. Nesses casos, cabe ao médico tranquilizar o
paciente. Além disso, a sedação é adaptada para a necessidade de cada pessoa Pode machucar a garganta? O aparelho pode gerar trauma na garganta, provocando desconforto posterior, que melhora em alguns dias. Segundo Maluf, é extremamente raro que aconteçam ferimentos mais graves, como perfuraçãoQuando é preciso fazer a endoscopia? O médico afirma que o exame é indicado para pessoas que
apresentam sintomas como má digestão, queimação, dificuldade para engolir,
náusea, vômito, anemia e emagrecimento. Pessoas com mais de 40
anos devem fazer um exame de rastreamento, mesmo sem sintomas. A recomendação é
que se repita o exame a cada 3 ou 4 anos, caso o sistema digestivo esteja em
condições normais. Pessoas que estão fazendo tratamentos ou possuam problemas
crônicos, como refluxo, devem fazer o exame de acompanhamento, para observar a
evolução do problemaComo me preparar para esse exame? Maluf orienta que a pessoa deve fazer oito horas de jejum e
que a última refeição antes do jejum deve ser leve. “As pessoas ficam com medo
de sentir fome e acabam comendo muito antes de começar o jejum. Isso faz com
que ainda tenham alimentos no estômago na hora do exame”, explica. Além disso,
se na semana do exame a pessoa consumir algo que possa irritar o estômago, como
bebidas alcoólicas e analgésicos, ela deve avisar o médico responsável *Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001