Embutidos costumam ter alto nível de sódio
Freepik

A ceia de Natal é um dos momentos mais esperados do ano por muita gente. Mas alguns pratos normalmente consumidos nesta época do ano podem ser prejudiciais para quem sofre de pressão alta. 

Carnes vendidas com tempero, embutidos e farofas prontas e outros alimentos industrializados têm quantidades elevadas de sódio. 

O Ministério da Saúde estima que um em cada quatro brasileiros adultos sejam hipertensos, um problema que pode levar à morte se não for monitorado e mantido sob controle. Nesses casos, uma alimentação pobre em sódio é fundamental.

A nutricionista Lara Natacci, integrante da comissão de comunicação da SBAN (Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição), explica que “temos que consumir em torno de 2.000 mg de sódio [ou 5 g de sal] por dia, no máximo”. No entanto, pessoas que sofrem de hipertensão podem ter que ingerir menos de 1.500 mg diariamente, ou 3,5 g de sal, o equivalente a três sachês e meio daqueles servidos em restaurantes.

Uma pesquisa feita pelo R7 nas tabelas nutricionais de alguns produtos consumidos com frequência nas confraternizações de fim de ano constatou que algumas fatias de aves ou suínos que já são vendidos temperados podem exceder rapidamente a quantidade recomendada de sódio.

Duas fatias e meia (100 g) de um tipo de peru temperado, por exemplo, chegam a ter 876 mg de sódio. A mesma porção de tender defumado — um tipo de embutido suíno — tem 1.229 mg. O lombo suíno ou o pernil têm em torno de 500 mg de sódio a cada 100 g.

Por outro lado, as versões que não são vendidas com tempero, apenas congeladas, possuem de três a quatro vezes menos sódio. Dessa forma, é possível temperar as carnes com menos sal na hora do preparo.

É preciso também ficar atento pois existe uma soma de elementos no prato. Uma colher de sopa (35 g) de farofa pronta temperada chega a ter 214 mg de sódio.

“Tudo o que é pronto e temperado pode ter mais sódio. Existem as versões light, reduzidas em sódio, por isso devemos olhar sempre o rótulo e a tabela nutricional”, orienta a nutricionista.

Vídeo: Brasileiros consomem mais do que o dobro de sódio recomendado

O médico Daniel Magnoni, nutrólogo do HCor (Hospital do Coração), em São Paulo, ressalta que não saber quanto há de sal em um prato pode ser um problema para quem não está com a pressão sob controle.

“Quando você compra no supermercado, que tem rótulo, pode até entender. Mas quando compra na rotisseria uma porção de salada de polvo, de lombo… aí o problema é bem maior, porque ninguém sabe quanto [de sal] tem lá.

A comunidade médica em todo o mundo é praticamente unânime ao relacionar o consumo excessivo de sal e o aumento da pressão arterial. A Sociedade Brasileira de Cardiologia lista alguns dos produtos que mais contêm sódio.

São eles:

• Sal de cozinha e temperos industrializados
• Alimentos industrializados, do tipo ketchup, mostarda, shoyu, caldos concentrados
• Embutidos (salsicha, mortadela, linguiça, presunto, salame, paio)
• Conservas (picles, azeitona, aspargo, palmito)
• Enlatados (extrato de tomate, milho, ervilha)
• Bacalhau, charque, carne seca, defumados
• Aditivos (glutamato monossódico) utilizados em alguns condimentos e sopas de pacote
• Queijos em geral

A nutricionista orienta que “não tem alimento proibido, mas tem que ter uma alimentação, em geral, que seja equilibrada”. Ela ainda dá uma dica para atenuar a absorção de sódio no organismo.

“O sódio age como uma esponja, faz com que o corpo retenha líquidos, aumente a pressão arterial. Pode causar inchaço nos membros também. Mas há três nutrientes que são antagonistas dele: o magnésio, encontrado em cereais integrais, couve, rúcula, espinafre e brócolis; o potássio, presente nas frutas, como banana e laranja, e também na batata e na água de coco; e o cálcio, que está principalmente nos laticínios. Todos ajudam a evitar as consequências ruins da ingestão de sódio.”

Os especialistas afirmam que se o consumo de sódio for um pouco mais alto pontualmente, como na ceia de Natal, é possível que não haja problemas. No entanto, é preciso estar atento aos exageros, já que pessoas hipertensas também devem evitar o excesso de álcool e não fumar — ambos são responsáveis pelo aumento da pressão.

“Se você estiver com a pressão controlada, estável, um dia não vai fazer mal você comer lombo, tender, pernil. Tem que dar uma maneirada depois e reduzir bastante o sal. Agora, se fizer uma semana de pé na jaca, de sal, açúcar e gordura, vai desestruturar alguma coisa, principalmente se for da terceira idade e estiver meio instável. O sal é um problema, sobe mesmo a pressão. Tem gente que está meio instável, vai a um churrascão e come sal, aí na segunda-feira está com crise de pressão alta”, finaliza o nutrólogo.

Alimentos com adoçante têm mais gordura? Veja mitos e verdades:

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001