EPA/DPA

A Polícia Civil prendeu na última quinta-feira (14) um homem por lesão corporal gravíssima, no bairro Taquara, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele é suspeito de esconder de suas parceiras que era portador de HIV, apesar de saber da doença desde 2008.

“Vírus HIV pode ser controlado, discriminação, não”, diz soropositivo

A primeira esposa do suspeito morreu em junho de 2012 de insuficiência renal, acompanhada de neurotoxoplasmose, uma infecção no cérebro comum em pessoas com imunidade baixa.

De acordo com a Polícia Civil, o investigado foi questionado sobre ser portador do vírus e falsificou um exame que atestaria positivo para doença na época.

Segundo as investigações, entre 2012 e 2017, o suspeito teve quatro relações estáveis. Pelo menos uma delas contraiu o vírus. O preso, na época em que sua companheira descobriu a doença, se negou a fazer um novo exame.

Veja também

Criança de 11 anos morta com tiro de fuzil sonhava em ser ginasta
RJ: Justiça decide que taxa do Detran deverá ser cobrada
Segurança mata jovem com “mata-leão” em hipermercado do Rio

Em meados de 2017, o suspeito começou a morar com uma nova parceira, que descobriu no ano seguinte que era portadora de HIV. A vítima levou o caso até a polícia, que afirma este ser o terceiro episódio em que o homem teria transmitido a doença.

As investigações revelaram que em pelo menos seis casos o suspeito omitiu ser portador de HIV, caracterizando também moléstia grave e violência doméstica.

Leia mais: pesquisadores brasileiros mostram tratamento que elimina o HIV

Em nota, a Polícia Civil destacou que para prisão do suspeito foram usadas luvas e máscaras. A preparação dos agentes foi feita “para evitar que ele tentasse propagar sua doença entre os policiais envolvidos em sua prisão”.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Marcos Sergio Silva

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001