TPM, abreviação de tensão pré-menstrual, consiste na soma de sintomas que ocorrem entre o dia da ovulação e o primeiro dia da menstruação. Ela afeta de 50% a 80% das mulheres em idade reprodutiva e até 40% delas precisam de tratamento médico*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah GianniniA TPM está presente, em média, em dois a cada três ciclos menstruais. A necessidade de tratamento é indicada quando a intensidade desses sintomas interfere nas atividades sociais, pessoais e limitam atividades do dia-a-diaA TPM ocorre devido a uma oscilação de hormônios femininos. Na primeira fase do ciclo menstrual, há um pico de estrogênio; já na segunda fase, há uma queda desse hormônio, acompanhada do aumento da progesteronaOs principais sintomas da TPM são ansiedade, irritabilidade, depressão, emotividade, baixa concentração, perda do autocontrole, dor de cabeça, inchaço das mamas, ­desejo por doces e ganho de peso. Geralmente, os sintomas melhoram com tratamentos que impedem a ovulação ou a oscilação hormonal que ocorre nesse período. Durante a gravidez e a menopausa, não há TPM, pois não há ovulaçãoOs sintomas da TPM são tratados por meio de medicações para aliviar os sintomas. Esses medicamentos bloqueiam a ovulação ou reduzem a oscilação hormonal e agem no cérebro, especificamente na hipófise, glândula responsável pela regulação de alguns hormônios, inibindo a produção dessas substânciasA oscilação hormonal que ocorre na TPM reduz a produção de serotonina, o neurotransmissor – substância produzida pelos neurônios que leva informações às células – responsável pelo humor e pela sensação de bem-estar. Essa diminuição da serotonina aumenta a vontade de ingerir alimentos que estimulem essa produção, como o chocolateA intensidade dos sintomas da TPM variam com o ciclo menstrual – ou seja, não é sempre a mesma. Fatores como o uso de medicamentos, diminuição de horas de sono, estresse e alimentos estimulantes, como cafeína e álcool, interferem nessas sensações. Acontecimentos externos do dia-a-dia também podem intensificar ou amenizar alguns sintomasO aumento do desejo sexual não é um sintoma da TPM, mas da pré-ovulação. O hormônio luteinizante, que atua na fertilidade, eleva a libido como forma de estimular a procriação da espécie. As relações sexuais no período da TPM ajudam a aliviar a cólica, pois liberam a serotonina, que aumenta a sensação de bem-estar, e a ocitocina, hormônio responsável por desenvolver empatia e apego entre as pessoas e está relacionada à contração do úteroO inchaço provocado pela retenção de líquidos também ocorre devido à oscilação hormonal, principalmente como efeito do  aumento da progesterona na segunda fase do ciclo. Fatores como problemas circulatórios, sobrepeso, consumo de alimentos industrializados e com excesso sal também contribuem para a retenção de líquidoA ingestão de vitaminas B, E e óleo de prímula são indicadas para combater a TPM, pois facilitam a comunicação entre os neurotransmissores, diminuindo os sintomas. Eles também têm ação antioxidante e anti-inflamatória, que beneficiam a saúde femininaIrritabilidade e impulsividade. Esses são os sintomas mais comuns que podem surgir na TPM. Eles ocorrem por conta dos picos entre os hormônios que afetam a comunicação entre os neurotransmissores e o humor. Para amenizá-los, é necessário controlar a TPM como um todoO Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM) consiste nos mesmos sintomas da TPM, porém de forma mais severa. O problema, que atinge cerca de 3 a 8% das
mulheres, geralmente acontece entre os 25 e 35 anos e afeta relações interpessoais e atividades profissionais. A TDPM
intensifica os sintomas da TPM, podendo gerar também instabilidade
emocionalO TDPM pode ter repercussões negativas na vida da mulher e exige diagnóstico e tratamentos médicos. Para tratá-lo, são usados remédios que bloqueiam o ciclo menstrual e remédios de ação específica para as alterações de humorPara amenizar sintomas como irritabilidade e emotividade, são indicadas a prática de ioga e meditação e atividades físicas em geral

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001