<img src=’https://img.r7.com/images/camarao-praia-comida-praia-23122023140527476′ /><br />

Frutos do mar estão entre os alimentos mais arriscados para consumo na praia
Freepik

O verão chegou e, com ele, a temporada de praia, quando inúmeras pessoas aproveitam o dia com o pé na areia e se refrescando na água. Por lá, o que não faltam são opções de comidinhas para beliscar. Mas consumir alimentos mal armazenados traz riscos — e consequências imediatas.

"Comer na praia pode ser seguro, mas é necessário ter atenção. O risco principal está na conservação e na higiene dos alimentos. Quando temos uma exposição a alta temperatura, o sol pode acelerar a deterioração dos alimentos, especialmente aqueles perecíveis", explica a nutricionista Edvânia Soares.

Embora não seja o ideal para uma alimentação rotineira, na praia, as comidas mais seguras são as industrializadas. Isso porque os produtos já estão embalados e dispensam a necessidade de manipulação, o que traz segurança alimentar.

Entre os alimentos perecíveis, o mais seguro seria o consumo de frutas com casca, segundo Edvânia. Mas, dependendo da temperatura em que estão expostas, elas também podem se estragar.

Veja também

Saúde
Em meio a nova onda de calor, pacientes com doenças crônicas devem evitar choque térmico

Saúde
Guia alimentar infantil da OMS muda orientações de introdução alimentar e uso de fórmulas

Saúde
Baixa taxa de gordura corporal faz mal ao organismo; entenda a importância do tecido para a saúde

 

• Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
• Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
• Compartilhe esta notícia pelo Telegram
• Assine a newsletter R7 em Ponto

A endocrinologista Tassiane Alvarenga, membro da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), diz também que sanduíches com alimentos de boa procedência, e bem acondicionados, podem ser opções mais seguras do que comer na praia.

Já a nutricionista Natalia Barros cita opções que podem ser adquiridas com segurança no local, como pipoca, frutas secas, amendoim e milho cozido na espiga, além de água e bebidas embaladas, lembrando sempre de se atentar a temperatura, higiene e condições de armazenamento.

Edvânia reitera que os alimentos menos seguros para consumo na praia são aqueles que exigem refrigeração, exatamente por não ser possível garantir a temperatura. É o caso dos frutos do mar, de margarinas, manteigas e maioneses, itens em que são comuns a contaminação e a proliferação de bactérias.

Pontos de atenção para a alimentação na praia

Entre os pontos que devem ser levados em consideração antes de consumir algo na praia, Natalia destaca:

• controle da temperatura: o calor na praia pode acelerar a multiplicação de bactérias em alimentos perecíveis. Certifique-se de que os alimentos perecíveis sejam mantidos em temperaturas seguras. Leve um cooler com gelo para manter alimentos frios, especialmente se você estiver passando um longo período na praia;

• proteção contra contaminação: evite a contaminação cruzada, garantindo que utensílios e mãos estejam limpos ao manusear alimentos. Use tábuas de corte separadas para carne crua e alimentos prontos para comer;
• alimentos preparados adequadamente: certifique-se de que os alimentos estejam completamente cozidos. A carne, em particular, deve ser cozida a uma temperatura interna segura para evitar a transmissão de doenças por alimentos;
• higiene pessoal: lave as mãos regularmente, especialmente antes de lidar com alimentos. Se não houver acesso a água corrente, use desinfetante para as mãos;
• proteção contra insetos: mantenha os alimentos cobertos para evitar a contaminação por insetos;
• escolha de alimentos não perecíveis: opte por alimentos que não se deterioram facilmente, como frutas secas, nozes, biscoitos e sanduíches embalados;
• evite alimentos crus ou sensíveis: fuja de alimentos que possam estragar rapidamente, como maionese não refrigerada, mariscos crus, ovos crus etc.

Consequências do consumo de alimentos na praia

O consumo de alimentos mal armazenados ou contaminados pode gerar problemas gastrointestinais.

Uma intoxicação alimentar pode ocasionar náusea, vômito, cólica e diarreia em razão da transmissão de vírus, parasitas e bactérias. Já alimentos malcozidos ou crus podem carregar bactérias como Salmonella, Escherichia coli (E. coli) ou Vibrium, causadoras de várias doenças.

Em decorrência desses problemas, somados à exposição solar prolongada, também pode ocorrer desidratação. 

Nesses casos, a recomendação é buscar atendimento médico prontamente, repor a hidratação, descansar e evitar alimentos suspeitos que possam ter ocasionado o problema ou que possam piorá-lo.

Caso haja a hipótese ou suspeita de que os desconfortos gastrointestinais tenham sido ocasionados devido à má higienização de um alimento ou do estabelecimento que o forneceu, é importante acionar as autoridades competentes para ser feita uma investigação.

O que levar para a praia

• Frutas frescas e cortadas: maçãs, bananas, uvas e melancias são boas opções. Certifique-se de lavar as frutas antes de cortá-las.

• Vegetais cortados: cenouras baby, pepinos e pimentões cortados são fáceis de transportar e podem ser acompanhados por molhos ou homus.
• Sanduíches: prepare sanduíches com recheios que não estragam facilmente, como queijos duros, presunto ou frango grelhado. Evite maionese e alimentos perecíveis.
• Barras de cereais e snacks saudáveis: são convenientes e não requerem refrigeração.
• Frutas secas e nozes: passas, damascos secos, amêndoas e nozes são opções de lanches nutritivos e duráveis.
• Saladas em potes: montar saladas em potes é uma maneira organizada de levar vegetais, proteínas e molhos separadamente, evitando que os ingredientes fiquem murchos.
• Bebidas esportivas: podem repor eletrólitos perdidos, especialmente em dias quentes.
• Coquetéis pré-preparados: se desejar bebidas alcoólicas, considere levar coquetéis pré-preparados em recipientes seguros e não quebráveis.
• Smoothies: prepare smoothies em casa e leve-os em garrafas isoladas, para uma opção refrescante e nutritiva.

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001