Arrumar a mesa pode ajudar a evitar compulsões
Pixabay

Por que muitas pessoas têm uma vontade súbita de comer doce? A explicação nada tem a ver com fome, mas tem um fundo psicológico e químico. 

“Não é fome. Quando estamos com fome, comemos qualquer coisa. Ninguém sente vontade de comer agrião, normalmente é sorvete, pizza, pudim”, afirma o psiquiatra Arthur Kaufman, que foi coordenador do Prato (Programa de Atendimento ao Obeso) do IPq (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP).

Kaufman explica que carboidratos (e aí entram os doces) e alimentos calóricos estimulam a produção de serotonina — neutrotransmissor que atua, entre outras funções, no humor — e levam a uma sensação de prazer e bem-estar. “As compulsões ocorrem sempre na busca por serotonina.”

Leia também: Alimento ultraprocessado em excesso gera falta de nutrientes

Além do processo químico, existem associações inconscientes a determinados alimentos.

“É a parte mais psicológica. Se quando você era pequeno, tinha chocolate nas festas, você associa chocolate a comemoração. Se quando você ficava triste, sua mãe te dava sorvete, você recebia carinho através do sorvete”, explica.

O psiquiatra afirma que o chocolate é um caso à parte, porque ele possui muitas substâncias químicas ligadas ao bem-estar — a cafeína é uma delas.

“Oficialmente, não é patologia [doença], assim como a obesidade também não considerada doença psiquiátrica, mas os próprios chocólatras consideram que possuem um comportamento doentio.”

Saiba mais: Remédio de diabete é usado para emagrecer; médicos apontam riscos

O nome dado à vontade exagerada de um alimento específico é fissura. Segundo Kaufman, depois de um episódio de compulsão, as pessoas não se sentem bem e algumas têm um sentimento de culpa muito intenso.

Como driblar o desejo

Kaufman explica que o tratamento utilizado para pessoas que possuem compulsão alimentar é o uso de antidepressivos com acompanhamento psicoterápico. “Na psicoterapia você se conhece, conhece seus hábitos e aprende a se controlar”, explica.

O psiquiatra dá três dicas para lidar com o desejo de doces e outras comidas específicas. “A primeira é não ficar muito tempo em jejum. A maior parte das compulsões acontece no final da tarde, quando a pessoa já está há muito tempo sem comer.”

Leia mais: O que acontece com seu corpo quando você come demais

Outra dica é ganhar tempo quando for ter a compulsão. “Não comer na frente da geladeira com a porta aberta. Quando for comer, coloque a toalha na mesa, prato, copo, talheres, uma florzinha.” Dessa forma, sugere o médico, o sentimento impulsivo vai diminuindo.

Por último, Kaufman indica que a pessoa tenha um kit emergência. “Se você já está perdendo, é melhor que não perca vergonhosamente. Então se você for ter a compulsão, é melhor que na sua casa tenha um doce de frutas cozidas sem açúcar, do que um bolo cheio de chantilly, algo que sacie a vontade, mas não prejudique tanto.”

*Estagiária do R7 sob supervisão de Fernando Mellis

Transforme a alimentação em aliada no Carnaval:

 

CategorySaúde

Copyright © 2016 - Plena Jataí. Todos os direitos reservados.

Clínica/Laboratório: (64) 3631-5080 | (64) 3631-5090
Farmácia: (64) 3631-8020 | (64) 3631-8030
Imagem: (64) 3631-6001